ANTE AS PEDRAS – Eurícledes Formiga

ANTE AS PEDRAS

Meu irmão, não te detenhas
Ante as pedras-de-tropeço…
Quem se entrega ao desalento
Vive a vida pelo avesso.
*
Tudo é convite incessante
A sublimada ascensão,
Dos astros no firmamento
À semente sobre o chão…
*
Vai-se a noite e o dia vem
Ao Sol que dissipa as trevas,
Emoldurando de luz
A montanha a que te elevas…
*
Tomba a árvore podada
Sob golpes agressores,
E se levanta, em seguida,
Toda coberta de flores…
*
Não te rendas à tristeza
Que te conduz ao fracasso,
As provações do caminho
Superando, passo a passo.
*
Persevera em teu labor,
Perdoa, servindo mais…
Sendo amado por Jesus,
Não há quem ame demais!…
*
Corre a fonte para o mar,
Sem que nada a desanime;
Toda crivada de espinhos
É que a roseira se exprime…
*
Irmão José e Eurícledes Formiga (Poesias) (psic. Carlos Baccelli – do livro “Frutos da Mediunidade”)