AUTOPERDÃO – Irmão José

AUTOPERDÃO
O assunto do autoperdão é tão importante, que convém voltemos a analisá-lo.
Sob pretexto de não viver efetuando cobranças excessivas, são muitos os que enveredam pelos descaminhos da Vida – muitos os que se transformam em instrumentos do sofrimento alheio!
Como, por exemplo, te poderias perdoar pelo sofrimento que, para teu deleite, impões, sucessivamente, aos outros?
De que te vale obter o próprio perdão pelo mal praticado contra alguém, se esse mesmo alguém não te libera da justa acusação pelo que o fizeste padecer?
Sem o perdão dos semelhantes, o chamado autoperdão é evidente sintoma de grave desequilíbrio da parte de quem não se importa com as consequências de suas atitudes.
Quando a Lei Divina nos solicita completa reparação de qualquer erro cometido, somente os insanos conseguem perdoar-se e continuar vivendo a fazer de conta que jamais a infringiram.
Irmão José (psic. Carlos Baccelli – do livro “Pai, Perdoa-lhes!”)