EM TORNO DE TI – Irmão José

“A riqueza da inteligência deves utilizá-la como a do ouro. Derrama em torno de ti os tesouros da instrução; derrama sobre teus irmãos os tesouros do teu amor e eles frutificarão.” – (“O Evangelho Segundo o Espiritismo”, Cap. XVI – Não se pode servir a Deus e a Mamon.)

Não olvides que, por onde caminhas, como emanação de tua personalidade, deixas a tua influência nociva ou benéfica ao redor de teus passos.

As tuas marcas espirituais, fornecendo notícias de tua verdadeira identidade, vão ficando impressas em tudo o que, direta ou indiretamente, estejas a tocar.

Pensamentos, palavras e atitudes, em essência, para muito além de teus traços fisionômicos, constituem a face real com que nem sempre o mundo te consegue ver.

Repara, pois, o que a tua simples presença na Terra vem sugerindo, em matéria de comportamento, àqueles que contigo convivem.

A quantos tens inspirado positivamente na superação de si mesmos, auxiliando-os com os teus exemplos de devotamento a um ideal de natureza superior?!

Quantos são os que tens encorajado a resistirem ao assédio do mal que, inutilmente, tem tramado a tua queda, através da qual espera arrastar ao abismo os que te elegeram por ponto de referência moral na existência?!

A quantos incentivas no esforço de caminhar com as próprias pernas, desenvolvendo a capacidade intelectual que lhes diz respeito, sem jamais cogitar de submetê-los ao teu modo de ser?!

Quantos são os que, de tuas mãos, recebem o pão do espírito, que, mais tarde, por sua vez, haverão de multiplicar em favor de outros famintos de luz?!

Assim como, ao derredor de determinadas pessoas, formam-se torvelinhos que, ao se afunilarem para baixo, fazem precipitar milhares de almas nas profundezas ensombradas, outros, ao se afunilarem para cima, impulsionam milhares de outras para o mais alto.

Por onde se movimentava, de maneira sempre ascendente, o Cristo arrebatava almas para o Reino de Deus.

Sobre os seus ombros, a cruz era o peso da Humanidade ignara que com Ele subiu ao Calvário, e, a contragosto, abandonando a planície pelo topo do monte, ficou mais perto do Céu.

Na trajetória que cumpres em tua atual encarnação, entre ser ombros para a cruz e ser cruz para os ombros, o que vens escolhendo?!

Irmão José (psic. Carlos Baccelli – do livro “Vinde a Mim”)