ENTRE O JARDIM E O QUINTAL – Irmão José

“Quando deixa a Terra, o espírito leva consigo as paixões ou as virtudes inerentes à sua natureza e se aperfeiçoa no espaço, ou permanece estacionário, até que deseje receber a luz.” – (“O Evangelho Segundo o Espiritismo”, Cap. XIV – Honrai a vosso pai e a vossa mãe.)

Em qualquer Sistema do Universo, entre um mundo e outro não existe descontinuidade – entre os orbes visíveis e os invisíveis o que há é apenas maior ou menor condensação da matéria que os constitui.

A Terra não passa de uma das infinitas Dimensões em que a Vida se manifesta.

O corpo físico é a expressão mais materializada do corpo espiritual – ou perispírito – como o próprio perispírito é o reflexo mais externo do corpo mental, e assim sucessivamente…

De acordo com a sua condição mental, no grau de lucidez que haja alcançado, o espírito se situa no Espaço que habita, e plasma a paisagem ao seu derredor.

Reencarnação e desencarnação são fenômenos que se restringem ao envoltório, e não ao espírito propriamente dito, que, em sua essência, é sempre o mesmo.

A Terra é como se fosse o portal de comunicação, entre o jardim e o quintal de uma casa que, quando fora do corpo, o espírito atravessa – alguns se dirigem ao quintal, e outros, ao jardim!

À medida que o ser inteligente evolui, ele vai transcendendo a forma que o limita, e, ao mesmo tempo, concorrendo para que, igualmente, a matéria se espiritualize.

Portanto, desencarnar não possui outro significado que não seja transferência de domicílio espiritual.

A mente do espírito sempre se adapta ao meio em que vive e, naturalmente, com ela, as suas percepções.

Quanto mais identificado com a matéria, mais o espírito se permite subjugar, porque, afinal, é com a matéria, e não consigo mesmo, que ele ainda mais se identifica.

Como um pássaro que emerge de seu ninho, a matéria é o berço em que o espírito se desenvolve.

A matéria tal qual a concha de uma ostra, e o espírito, a pérola, que se forma a partir de um grão de areia – mas, um dia, a própria concha da ostra será pérola também.

A Terra é Mundo Espiritual, e o Mundo Espiritual é Terra.

Na ilusão dos sentidos, vida e morte não têm outra conotação que não seja a de ordem terminológica.

Irmão José (psic. Carlos Baccelli – do livro “Vinde a Mim”)