Frutos da Mediunidade – Irmão José e Eurícledes Formiga (Poesias)

Amigo leitor:

As páginas singelas que ora lhe entregamos à reflexão, de nossa autoria e do poeta Eurícledes Formiga, respectivamente, constituem-se em frutos da abençoada Árvore da Mediunidade. Foi-nos possível colher, através do esforço perseverante e do trabalho cotidiano em prol da divulgação dos princípios da Doutrina, nas várias oportunidades que, para tanto, se nos têm apresentado, no decorrer das estações da Vida.

Esperamos que os referidos pomos se lhe transubstanciem em alimento para a alma, robustecendo-lhe a fé e sustentando-lhe os passos na caminhada, que não cessa. Rogamos, pois, ao Divino Pomicultor que nos conceda a alegria de continuarmos a cultivá-los, com o suor digno e as mãos calosas de obreiros conscientes do dever que lhes cabe cumprir.

Irmão José

Uberaba – MG, 06 de 2003.

Irmão José e Eurícledes Formiga (Poesias) (psic. Carlos Baccelli – do livro “Frutos da Mediunidade”)