LIXO MORAL – Irmão José

Não deixes entrar em tua casa os resíduos morais que as pessoas vulgares costumam produzir e espalhar pelas ruas, como quem espalha lixo pela cidade, em atos de vandalismo.

No convívio com os teus, combate, em ti mesmo, o verbo leviano que costuma descambar para a imoralidade.

Submete todos os assuntos do diálogo doméstico a necessária triagem, a fim de que a conversa menos edificante não atraia companhias espirituais indesejáveis para o teu lar.

Silencia comentários desairosos em torno da infelicidade de alguém, ao contrário, procurando envolvê-lo em vibrações de paz.

Não concedas abertura para aquele que te visita ser mensageiro das trevas, comprometendo o ambiente de equilíbrio que te esforças por resguardar no reduto da família.

Ninguém deve ignorar ou fugir à realidade da vida cotidiana em que vive na Terra, mas, por saber o que se passa em torno, não há necessidade de que se faça a menor adesão ao mal.

Irmão José (psic. Carlos Baccelli – do livro “Ajuda-te e o Céu te Ajudará”)