MEDIUNIDADE E PROVA – Eurícledes Formiga

Fato que não se contesta
Por mais se passem os meses:
Todo espírita que é médium,
Quando cai, cai duas vezes.

*

No médium que não estuda
E abdica da razão,
Mediunidade, não raro,
Pode ser obsessão.

*

Em quem deseja ser médium,
Mais que ser médium devia,
Mediunidade atrapalha
Muito mais do que auxilia.

*

Todo médium que renasce
Com serviço definido,
Para ser médium no mundo,
Não escolhe, é escolhido.

*

Para o médium sempre em luta
Sobre a estrada em que caminha,
Mediunidade, por vezes,
Parece o final da linha…

*

Em meio às sombras da prova,
Por entre as quais se conduz,
O que leva o médium adiante
É a proteção de Jesus.

*

Irmão José e Eurícledes Formiga (Poesias) (psic. Carlos Baccelli – do livro “Frutos da Mediunidade”)