MEDIUNIDADE E VIDA – Eurícledes Formiga

MEDIUNIDADE E VIDA

Mediunidade é um fruto
Que cresce, seja onde for,
Porém, fora de estação,
Não tem o mesmo sabor.
*
Mediunidade é uma gleba
Que, para ser cultivada,
Não dispensa receber
Constantes golpes de enxada…
*
Toda dor é para o médium
Um cadinho que, em verdade,
Se lhe retempera a alma,
Aprimora a faculdade…
*
A vaidade no médium
Se assemelha ao que se diz:
Tiririca que se corta,
Mas não se arranca a raiz…
*
Todo médium sem Doutrina,
Não possui discernimento
E não sabe a direção
Do seu próprio movimento…
*
Em muito médium que logro
Observar em ação,
Se vejo mediunidade,
Vejo mais obsessão.
*
Com os seus diferentes dons
– Que isto não cause surpresa,
Os médiuns mais numerosos
São os de poltrona e mesa…
*
Para se desenvolver,
Apesar de contratempo,
Mediunidade requer Estudo,
Exercício e Tempo.
*
Médiuns há querendo agora,
Mal começando a servir,
O que muitos outros médiuns
Demoraram conseguir.
*
Médium que queira cumprir
Com o seu dever na Doutrina,
Não fuja de caminhar
Sob a cruz da disciplina!…
*
Irmão José e Eurícledes Formiga (Poesias) (psic. Carlos Baccelli – do livro “Frutos da Mediunidade”)