MEDIUNIDADE EM ESTUDO – Eurícledes Formiga (Poesias)

No médium que não trabalha
E não se aprimora em nada,
Mediunidade é uma luz
Constantemente apagada.

*

Muitos médiuns submeto
À seguinte equação:
Tirando mediunidade,
O que sobra é obsessão.

*

Intercâmbio com o Além,
Por vezes, não acontece,
Porque, se o médium não sobe,
O espírito não desce …

*

Sintonia mediúnica
É mais que recolhimento…
Toda atitude no bem
Vale mais que o pensamento.

*

Eis um fato que comprovo,
Sem que a verdade me falhe:
Mediunidade é serviço,
O resto é simples detalhe…

*

Sem Jesus e sem Kardec,
Ser médium no Espiritismo
É caminhar às escuras
Para a boca de um abismo!

*

Quem quer ser médium comece
Servindo a quem quer que seja,
E siga renunciando
Àquilo que mais deseja.

*

Irmão José e Eurícledes Formiga (Poesias) (psic. Carlos Baccelli – do livro “Frutos da Mediunidade”)