SUOR E LÁGRIMAS – Irmão José

É possível que, ante a fé, que professas, anotando certa contradição entre o que dizes e o que fazes, te deixes dominar pela tristeza.

Queres pautar-te pelos preceitos evangélicos que abraçaste e, um sem-número de vezes, sucumbes às tuas fragilidades.

O homem-velho persiste dentro de ti, induzindo-te à reincidência na queda que te esforças por evitar.

Que atitude tomar? – perguntas, angustiado, ensaiando, de vez, a deserção aos compromissos espirituais assumidos.

Convence-te de que Jesus, o Divino Médico das Almas, não veio mesmo para curar os sãos.

Somos todos espíritos enfermos, sob o guante das mais diversificadas patologias da mente.

Acaso, o doente em que a doença se cronificou, obtém a cura à primeira intervenção medicamentosa que recebe?

Porventura, aprende o aluno inteiramente a lição, com apenas alguns dias de frequência ao banco escolar?

Não sejas, em demasia, condescendente contigo nas incoerências de tua personalidade, todavia não te martirizes tanto, criando falsas expectativas a teu respeito.

Não és mais nem menos do que és, nas ações que te revelam no cotidiano.

Encerras possibilidades virtuais capazes de te nivelarem aos anjos, mas, até lá, tens muito suor a derramar e lágrimas a verter.

Irmão José (psic. Carlos Baccelli – do livro “De ânimo firme”)