CONSTATAÇÕES – Irmão José

Todos os que fazem na vida a opção incorreta não se eximem de suas consequências.

Ninguém logra atravessar incólume a existência humana, no que tange à semeadura e à colheita.

Os que sofrem são, inegavelmente, mais venturosos que os que fazem sofrer.

Os que burlam a justiça dos homens, por não lograrem ludibriar a consciência, atingem o ocaso da vida com tremendo vazio no coração.

Aproxima-te do leito dos que agonizam e perceberás, em seu semblante, a diferença entre os que deixam o corpo sem o peso da culpa e os que partem tangidos pelo remorso.

Diante de tais constatações, não te perguntes mais se vale a pena ser bom.

Irmão José (psic. Carlos Baccelli – do livro “Amor e Sabedoria”)

CONSTATAÇÕES – Irmão José

Todos os que fazem na vida a opção incorreta não se eximem de suas consequências.

Ninguém logra atravessar incólume a existência humana, no que tange à semeadura e à colheita.

Os que sofrem são, inegavelmente, mais venturosos que os que fazem sofrer.

Os que burlam a justiça dos homens, por não lograrem ludibriar a consciência, atingem o ocaso da vida com tremendo vazio no coração.

Aproxima-te do leito dos que agonizam e perceberás, em seu semblante, a diferença entre os que deixam o corpo sem o peso da culpa e os que partem tangidos pelo remorso.

Diante de tais constatações, não te perguntes mais se vale a pena ser bom.

Irmão José (psic. Carlos Baccelli – do livro “Amor e Sabedoria”)

NINGUÉM ESCAPA – Irmão José

“O homem não é, portanto, punido sempre ou completamente punido, na sua existência presente, mas jamais escapa às consequências de suas faltas.” – “O Evangelho Segundo o Espiritismo” – Cap. V, item 6.

Há quem diga que os injustos e desonestos não são alcançados pelo braço da Lei, que parece ignorá-los em seus desmandos…

Muitos, inclusive, chegam a questionar a Divina Justiça, que, segundo afirmam, assiste, impassível, à vitória dos opressores que se comprazem nos excessos de toda ordem.

Todavia, ninguém escapará às consequências de suas atitudes infelizes, mormente quando alicerce a sua ilusória felicidade sobre as lágrimas daqueles que, no mundo, não têm voz que se erga para defendê-los.

Não raro, nos caminhos da Vida Maior, após a morte do corpo, o homem é esperado por suas próprias obras…

Quando cerra os olhos para a transitoriedade da vida física, é que começa para ele a farta colheita de espinhos ou de flores, de acordo com a natureza das sementes que escolheu lançar à terra.

Felizes os que não faceiam as realidades de além-túmulo, antes de se decepcionarem consigo mesmos, repensando as decisões que tenham tomado!

A Lei jamais se equivoca! No momento justo, seja no bem ou no mal, todos haverão de experimentar o resultado de suas ações, na alegria ou no remorso que os aprove ou, então, que os exorte à necessária corrigenda.

Berço e túmulo são simples páginas de um volumoso livro cujo autor – o espírito imortal – através das vidas sucessivas, está redigindo-o, capítulo a capítulo.

É, pois, aparente a imunidade dos que burlam os tribunais competentes, qual se a Sabedoria da Vida fosse incapaz de registrar e de educá-los em seus mais insignificantes deslizes.

Toda e qualquer ação desencadeada corresponde a uma reação de igual e mesma intensidade, que deve ser integralmente absorvida pelo seu agente, em seus aspectos positivos ou negativos.

Irmão José (psic. Carlos Baccelli – livro “Pedi e obtereis”)