IMEDIATISMO – Irmão José

O imediatismo é um dos maiores entraves ao progresso espiritual.

Quem se envolve em demasia com as questões materiais da existência é possuído, ao invés de possuir.

Cedendo o seu pensamento aos negócios do mundo, nos quais concentra todos os seus interesses, o homem não consegue cultivar-se.

É indispensável que o homem faça uma pausa no corre-corre da vida diária, buscando amealhar os recursos imperecíveis da alma.

O prazer-agora é materialismo disfarçado.

Da maneira como investe na aquisição dos bens materiais, o homem de bom senso não pode deixar de investir no seu futuro espiritual.

Romper com o círculo vicioso da ambição em que se encarcera é de suma importância para o espírito.

O mancebo rico que procurou Jesus, perguntando-lhe o que fazer para conquistar a vida eterna, não conseguiu libertar-se de sua escravização ao status social.

Ninguém pense que terá pela frente todo tempo que deseje a fim de mudar de vida.

Sobre o mundo, todas as coisas são transitórias e o homem não detém sequer a posse definitiva de seu corpo.

Ainda hoje, comece o homem a desapegar-se dos bens materiais que lhe foram concedidos por empréstimo, em benefício de sua espiritualização.

Irmão José (psic. Carlos Baccelli – do livro “Lições da Vida”)

CAPACIDADE DE DESAPEGO – Irmão José

O que verdadeiramente revela a tua capacidade de desprendimento não é doação material que faças aos mais necessitados…
Tampouco o que fores capaz de deixar em testamento a obras de benemerência social…
Nem a generosidade espontânea em auxiliar a quem te estender a mão na via pública…
Ou, ainda, o montante de tuas doações ao longo de toda a existência…
Além de todas as tuas importantes demonstrações de renúncia aos bens transitórios da vida, o que haverá de mostrar a tua real inclinação à difícil virtude do desapego sobre o que tens e o que és será a tua capacidade de perdoar.
Irmão José (psic. Carlos Baccelli – do livro “Pai, Perdoa-lhes!”)